PARTICULARIDADES DA TERCEIRA DECLINAÇÃO

LIÇÃO VIRTUAL N. 8

8. PARTICULARIDADES DA TERCEIRA DECLINAÇÃO

A terceira declinação é a que apresenta maior complexidade, maior quantidade e variedade de palavras e também a que comporta mais exceções. Procuro evitar ao máximo estas referências a exceções, porém, termina sendo inevitável falar sobre elas.

Vejamos, pois, algumas informações. Primeiro, há uma distinção entre as dois grupos de palavras da terceira declinação:

Parassilábicas – aquelas que têm o mesmo núe;mero de sílabas no nominativo e no genitivo. Ex: panis, is (pão), civis, is (cidadão), navis, is (navio), ignis, is (fogo), sedes, is (sé ou sede, no sentido de local);

Imparassilábicas – aquelas que têm número dee sílabas no genitivo maior que no nominativo. Ex: labor, laboris (trabalho), gutur, guturis (obs: sílaba tônica em ‘gu’ nas duas, =garganta), opus, operis (obra), fraus, fraudis (dano).

Por que esta distinção? Pelo seguinte: as parassilábicas fazem o genitivo plural em ‘ium’, enquanto as imparassilábicas fazem o genitivo plural em ‘um’, conforme explicado no capitulo anterior. Por ex: ‘civis’ fica ‘civium’, ‘navis’ fica ‘navium’; porém ‘gutur’ fica ‘guturum’, ‘opus’ fica ‘operum’.

Mas até nesta particularidade há exceções. Por ex: ‘lis, litis’ (processo), embora seja imparassilábico, faz o genitivo plural em ‘ium’ (litium). E há também o oposto, ou seja, parassilábicas que fazem o genitivo plural em ‘um’, por ex: ‘canis’ fica ‘canum’, ‘pater’ fica ‘patrum’. Há ainda algumas palavras que admitem as duas possibilidades. Por ex: ‘apis’ (abelha) pode ficar no genitivo plural ‘apium’ ou ‘apum’, ‘mensis’ (mês) pode ficar ‘mensium’ ou ‘mensum’, ‘vates’ (adivinhador) pode ficar ‘vatium’ ou ‘vatum’. Não há, pois, uma regra monolítica.

Faço esta observação não para confundir os iniciantes, mas apenas para que ninguém se espante ao se deparar num texto com esta forma do genitivo plural de algumas palavras.

Há ainda aquelas palavras que fazem o acusativo singular em ‘im’ e o ablativo singular em ‘i’, ao invés de acusativo ‘em’ e ablativo ‘e’, que é a regra. Por ex: ‘sitis’ (sede, necessidade de água) fica ‘sitim’ no acusativo e ‘siti’ no ablativo singular; ‘tussis’ (tosse), fica ‘tussim’ e ‘tussi’, respectivamente; ‘febris’ (febre) fica ‘febrim’ e ‘febri’. São apenas alguns exemplos.

Para tranquilizar alguns mais apressados, aviso que o uso de uma gramática e de um dicionário é sempre necessário para se estudar latim. Não há como memorizar tantas excepcionalidades.

Também há aquelas palavras empregadas apenas no plural, embora em português o seu uso seja admitido no singular. Ex: maiores, um = antepassados; cervices, um = nuca; parentes, um = pais; verbera, um = açoites; moenia, um = muralhas.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s